sábado, setembro 11, 2010

Amália

Amália casou aos 18 anos, grávida de Carlos. Mas não casou obrigada, casou por amor. Da mesma forma que se entregou por amor.

David era um homem hábil, inteligente, empreendedor, charmoso. Tinha-a cortejado de forma persistente, insistente e audaz. Enfrentou a sua mãe que não era pera doce. Fez a coisa certa e assumiu o filho que geraram. Tudo por ela.

E ela amava-o tão profundamente.

Amava-o e perdoava-o pelas saídas tardias a meio da semana, pelos desaparecimentos ao fim de semana, pelos telefonemas que interceptava ocasionalmente, pelos seus acessos de raiva, por lhe levantar a mão de vez em quando, por pôr menos dinheiro em casa do que devia, por a recriminar injustamente das atenções que recebia.

Mantinha a casa sempre impecável, todas as camisas passadas. Carlos estava sempre cuidado e disciplinado e Amália preparava pratos da revista teleculinária para o jantar que decorava primorosamente. Recebia-o em casa sempre bem penteada, com a roupa modesta mas de muito bom gosto que expunha na sua figura esbelta e que combinava criativamente com as poucas jóias que tinha.

E pensava no que poderia fazer para ser um pouco mais perfeita. Era a mulher mais bonita do bairro, delicada, feminina, uma verdadeira fada do lar. Era uma esposa dedicada e uma mãe extremosa.

Não percebia o que David via noutras mulheres que ela não lhe podia dar. E esforçava-se diariamente por tornar o seu casamento e a sua casa o mais perfeitos possível. Dizia para si mesma, "é homem, e este é o instinto dele: caçar. Mas volta sempre para mim que sou a mulher dele".

David partir-lhe-ia o coração várias vezes durante a sua vida. Quando a deixou por outra, quando desfilou com várias pelos circulos de amigos de ambos, quando assentou com a mais ordinária de todas, quando descurou o filho de ambos, quando lhe vinha chorar no colo dos infortunios da sua vida, sem nunca mais ser dela.

Mas ela nunca mais deixou de ser dele e nunca mais quis ninguém.

4 comentários:

Alexandre disse...

Muito bem!...mas fico mesmo à espera dos cruzamentos, como se fosses um lateral a cruzar para o ponta-de-lança, ou as agulhas que fazem cruzar o fio para ficarmos com ponto cruz.

Estava a pensar que o ideal seria começares a cruzar toda esta gente numa novela. Em episódios. E nós já tínhamos o que ler todas as semanas!


=) Go ahead!

Alexandre disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
La fille disse...

tens dois nomes de homem, carlos e david, está certo?

Loopy disse...

Sim, babe, David é o marido, Carlos é o filho :)) *